Asma Brônquica

Doença inflamatória crónica dos brônquios

Prevenção da asma brônquica

Embora não exista cura para asma, grande parte das exacerbações podem ser evitadas. Quem sofre de asma extrínseca, pode submeter-se a testes cujo objectivo é detectar se os ataques são desencadeados por algum dos agentes alergenos mais comuns. Se for descoberta uma causa específica, podem ser tomadas medidas para a evitar. Por exemplo, se as crises asmáticas são provocadas pelo pólen, o utente deve evitar jardins e as idas ao campo durante a Primavera. Pode recorrer-se à dessensibilização (uma série de injecções do agente alergenos), embora os resultados nem sempre sejam satisfatórios. Os medicamentos profiláticos (preventivos) demonstraram ser muito mais eficazes na prevenção dos ataques, contando-se entre estas substâncias os anti-alérgicos (anti-histamínicos; cromoglicato de sódio) e os corticosteróides por via inalatória. Porém, para serem eficazes, têm de ser administrados várias vezes ao dia, em geral com um inalador.

Quando o utente reconhece e evita os factores desencadeantes da sua asma, reduz os sintomas, as exacerbações e a terapêutica medicamentosa. Para isso certas medidas poderão ser tomadas, designam-se medidas de evicção, tais como:

Jamais tomar medicamentos que não sejam prescritos por médicos.